terça-feira, setembro 16, 2014

ESTADOS UNIDOS:....Incêndios na Califórnia se alastram e deixam mais 1 mil desabrigados.

Avião ajuda no combate a incêndio na floresta de Fresh Pond, na Califórnia (Foto: Noah Berger/Reuters)
Avião ajuda no combate a incêndio na floresta de Fresh Pond, na Califórnia (Foto: Noah Berger/Reuters)


Mulher observa o que sobrou da casa dela após ser atingida por incêndio em Weed, na Califórnia (Foto: Rich Pedroncelli/AP)
Mulher observa o que sobrou da casa dela após ser atingida por incêndio em Weed, na Califórnia (Foto: Rich Pedroncelli/AP)


Equipes de emergência combatem cerca de uma dezena de incêndios florestais na Califórnia, nos Estados Unidos, nesta terça-feira (16), os quais forçaram milhares de pessoas a deixarem suas casas, danificaram ou destruíram mais de 100 edifícios e devastaram milhares de hectares de florestas secas.
Incendio California EUA  (Foto: Noah Berger/Reuters)
Incêndio na California (Foto: Noah Berger/Reuters
Em todo o estado mais de 1 mil pessoas tiveram de deixar suas casas. Em El Dorado County, incêndio alcançou 8,5 mil hectares de floresta. Mais de 250 casas foram evacuadas e moradores de outras 400 residências foram alertados da necessidade de deixarem o local. Aviões                                                                                   oram usados para ajudar a conter o fogo.
Três anos de secas na região mais populosa dos Estados Unidos forçaram os fazendeiros a deixarem seus campos sem cultivo e tornaram as comunidades dependentes de águas de poço, com arbustos secos servindo de combustível para incêndios florestais frente a um calor de 38°C, segundo a agência Reuters.
Estava previsto que a temporada de incêndios florestais deste ano, que tipicamente vai de maio a outubro, seria a mais destrutiva já registrada, de acordo com o Departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios da Califórnia.



Temporada de fogo pode ser a mais destrutiva dos últimos anos.
Bombeiros usam aviões para tentar conter o fogo.

Num balanço das autoridades, consta que cerca de 140 hectares ao norte do Estado foram queimados, mais de 100 prédios foram destruídos ou danificados e mais de 1.000 pessoas deixaram suas casas em três pequenas comunidades.
Paralelamente, um grande incêndio declarado na semana passada segue avançando no Parque Nacional de Yosemite, perto do Half Dome, uma pedra de mais de 1.400 metros que constitui uma das atrações mais icônicas do parque, e arrasou quase dois mil hectares, embora hoje os bombeiros tenham conseguido conter 80% do fogo.
A Califórnia vive em 2014 a pior temporada de incêndios dos últimos anos e até agora já foram registrados mais de 4.641 focos de incêndio no estado. Nessa mesma época do ano passado, foram registrados 600 focos a menos.
As altas temperaturas deste verão em vários pontos da geografia californiana, junto a fortes ventos que sopram de maneira pontual e, principalmente, a seca crônica que arrasa a Califórnia há três anos, são os principais responsáveis de um dos anos mais nocivos para a floresta californiana.

CORRUPÇÃO BRASIL:....MP denuncia quadrilha de roubos a carros e residências em Porto Alegre.

Operação Ostentação quadrilha Porto Alegre RS (Foto: Reprodução/Polícia Civil)
Operação Ostentação prendeu quadrilha no fim de
julho (Foto: Reprodução/Polícia Civil)




Policial militar e outras 20 pessoas integram a denúncia do órgão.
Grupo agia na Zona Sul e foi desarticulado em julho deste ano.

O Ministério Público denunciou uma policial militar e outras 20 pessoas por tentativa de homicídio, roubo a veículos, corrupção de menores, assaltos a residências e lojas, receptação, clonagem de veículos e tráfico de drogas. A quadrilha agia na Zona Sul de Porto Alegre e teve 22 integrantes presos em julho na Operação Ostentação, da Polícia Civil. Ao menos 35 pessoas teriam sido atingidas pelo grupo.
A denúncia é assinada pela promotora Guacira Almeida Martins. Entre os denunciados está a policial militar Raila Graciel Ferraz Saraiva, namorada de um dos chefes da organização, Gustavo Maineri da Silva. Entre março e julho deste ano, Raila era responsável por informar a quadrilha os locais de patrulhas da Brigada Militar.
As investigações mapearam as atividades da quadrilha desde 2013 e identificaram que um dos integrantes foi reconhecido como autor de 17 crimes, entre roubo de carros e assaltos a residências. Nas redes sociais, o grupo exibia o dinheiro obtido com atividades ilícitas, armas e até desafiavam as autoridades.

Operação Ostentação quadrilha Porto Alegre RS (Foto: Reprodução/Polícia Civil)
Operação Ostentação quadrilha Porto Alegre RS (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

Entenda
Desencadeada no dia 29 de julho, a operação contou com 300 policiais civis. No total, foram cumpridos 52 mandados de busca e apreensão e 31 mandados de prisão em Porto Alegre e na Região Metropolitana. Porém, nove bandidos que aparecem nas fotos continuam foragidos.
De acordo com a polícia, a especialidade do bando era roubo de carros. “Cada carro roubado era vendido pelo valor de R$ 2 a R$ 3 mil. Eles chegaram a roubar em um final de semana, na verdade em um dia, num sábado, 14 veículos”, afirma o delegado Luciano Peringer.
Todas as ações aconteciam de forma rápida e sempre da mesma maneira. Imagens feitas por câmeras de segurança flagraram um dos roubos. No vídeo, uma família aparece entrando no carro. Logo em seguida, outros dois carros chegam em alta velocidade. Os bandidos saltam e ordenam a retirada dos passageiros. Eles entram e arrancam com o automóvel roubado.
Desta vez ninguém saiu ferido. Entretanto um policial militar que foi rendido pelos bandidos durante um assalto chegou a levar dois tiros ao tentar reagir. "Eu ouvi que ele falou assim: 'Atira e mata, que é polícia'. Ele encostou o revólver no pescoço e efetuou o disparo. E, mesmo assim, eu caído, ele me deu mais um tiro na cabeça”, ele lembra.
Além de carros, os bandidos também assaltavam casas, lojas e até um banco, de onde foram levados cerca de R$ 280 mil. Tudo que conseguiam levar ia parar nas redes sociais. Os criminosos faziam questão de postar fotos mostrando o fruto dos roubos: joias, armas, relógios de ouro e muito dinheiro.
Um deles aparece botando fogo em várias notas de R$ 100. Nem o gato de um dos bandidos escapou, com um cordão de ouro e deitado numa cama de notas de dólares. A ousadia era tanta que um deles aparece vestindo uma camisa da polícia com o comentário: “Eu sou a lei”.
Foi justamente tanta ostentação que ajudou a polícia a identificar os criminosos. Uma das vítimas reconheceu os objetos roubados pelas postagens na internet. “este relógio é meu e aquele monitor também”, diz ela, apontando para a foto. “Na outra foto o mesmo criminoso estava utilizando o meu antigo relógio. E comecei a acompanhar o dia a dia deles. É um diário do crime. É muita ostentação”, acrescenta a vítima.

segunda-feira, setembro 15, 2014

CORRUPÇÃO:....Mensagens de telefone ligam diretor da Casa de Detenção a criminosos.


Claudio Barcelos cobrava dinheiro para liberar presos em São Luís.
Diretor de presídio de Pedrinhas era monitorado há três meses, diz polícia.

Uma série de mensagens interceptadas pela Polícia Civil comprovam a ligação entre criminosos e o diretor da Casa de Detenção do Complexo de Pedrinhas, Claudio Henrique Bezerra Barcelos. Nesta segunda-feira (15), ele foi preso preventivamente por suspeitas de receber dinheiro para facilitar fugas e saídas de detentos da unidade prisional.
A Casa de Detenção (Cadet) é uma das sete unidades do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, que também é formado pelo presídio feminino, Centro de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), Presídios São Luís I e II, Triagem, e Centro de Detenção Provisória (CDP). O Complexo é conhecido internacionalmente pelos problemas de segurança causados por fugas e mortes, e também foi palco de brigas de facções, com presos decapitados. Somente na Casa de Detenção, nos últimos 11 meses, 10 detentos morreram no local e pelo menos 20 ficaram feridos após briga entre facções criminosas.
Segundo a Polícia Civil, o diretor do presídio era investigado há três meses e foi descoberto que ele mantinha um esquema para colocar os presos em liberdade e mantê-los soltos o tempo que eles precisassem. Quanto maior o tempo na rua, maior o preço cobrado.Penitenciária de Pedrinhas, em São Luís (Foto: Divulgação/CNJ)
Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma quadrilha de assaltantes chegou a pagar R$ 300 mil para sair da cadeia e ir embora de vez. Imagens do circuito interno de Pedrinhas mostraram a quadrilha inteira indo embora. A autorização para a saída era feita com um documento falso, assinado pelo diretor. Mas para o sistema carcerário, os detentos continuavam presos.
Segundo o delegado que preside o inquérito, André Gossain, Barcelos admitiu ter liberado quatro presos, mas nenhum por dinheiro em troca. "Ele afirma que eram detentos de boa conduta, e que também autorizava saídas temporárias, mas que ficava monitorando os beneficiados. Concidentemente, um dos presos voltava para o presídio quando o diretor era preso. Vamos ouví-lo agora", afirmou o delegado.
Detento prometeu a diretor que voltaria à Casa de
Detenção (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Mensagens de telefone trocadas entre o diretor e os fugitivos, interceptadas com autorização da Justiça, revelam uma cumplicidade entre eles. Em uma delas, o diretor pede para o detento retornar à unidade prisional porque haveria uma recontagem dos presos. Ele promete um emprego na portaria para o fugitivo. Em outra mensagem, um preso diz que está na Bolívia e que não pretende mais voltar.
Já em outra mensagem, um preso diz que ‘dá a palavra dele de que vai voltar’. Outra mensagem mostra que um detento pede o número da conta do diretor, e diz que vai ‘mandar uma ideia’, que segundo a polícia quer dizer dinheiro. “Deve haver outros funcionários. A gente tem quase a certeza e vamos chegar a essas outras pessoas que também participavam dessa fraude, e essas pessoas serão responsabilizadas”, afirmou o superintendente de investigações criminais da Polícia Civil, delegado Luís Jorge (veja vídeo acima).
Barcelos respondia pela direção da unidade prisional há oito meses. Nesse período, dois inquéritos foram abertos, também por suspeitas de facilitação em fugas de detentos. Antes de ser diretor da Casa de Detenção foi assessor jurídico do Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas (CDP); da Secretaria-adjunta de Justiça; e assessor jurídico da Casa de Detenção.
Após a prisão de Barcelos, a Sejap escolheu um substituto. O novo titular da Casa de Detenção, Pastor Noleto, como é conhecido, era o diretor do Centro de Triagem, também em Pedrinhas. O substituto para a direção da Triagem ainda não está decidido, de acordo com o secretário de Estado de Justiça e Administração Penintenciária (Sejap), Sebastião Uchoa.
 
 nvestigações
Cláudio Barcelos foi preso na manhã desta segunda-feira (15) após policiais cumprirem cumpriram mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em seu escritório e sua residência. As investigações contra o diretor foram iniciadas em junho, quando a Superintendência de Investigações Criminais (Seic) começou a perceber que presos que deveriam prestar depoimentos em audiências não compareciam porque haviam fugido, sem sequer a informação constar no sistema penitenciário. De acordo com o superintendente da Seic, Luís Jorge, as fugas não ocorreram coletivamente.
“A maioria dos detentos que fugiram da Cadet era assaltantes. Começamos a ver que bandidos que não tinham família aqui eram beneficiados com saídas temporárias de datas comemorativas e não retornavam, por exemplo. As fugas normalmente eram pela porta da frente, com alvará falso, ou de outros processos. Percebemos que tinha gente de dentro facilitando, pois era amador demais”, afirmou o superintendente.
As suspeitas ganharam maior sustentação há cerca de 20 dias, quando três homens que assaltaram um carro-forte em Sítio Novo, MA, fugiram. “Eles são de alta periculosidade. Fomos no sistema e vimos que eles estavam ativos, como se ainda estivessem presos. O diretor tomava decisões sem o conhecimento da Vara de Execuções Penais. Dava a sentença dos presos como se fosse o próprio juiz. Temos informações de que outros negociavam passar um fim de semana fora, uma semana fora, e depois voltavam. Ele ligava para os presos avisando para retornar, pois teria recontagem”.
 

quinta-feira, setembro 11, 2014

INTERNACIONAL:...O famoso físico britânico lançou um alerta à humanidade.

Great Scott! Hawking diz que podemos desestabilizar o continuum espaço-tempo!
“Great Scott!” O físico Stephen Hawking agora diz que podemos desestabilizar o continuum espaço-tempo!

 Stephen Hawking ataca novamente. O famoso físico britânico lançou um alerta à humanidade ao destacar que a manipulação do bóson de Higgs — a tal “partícula de Deus”, descoberta em 2012 no maior acelerador de partículas do mundo — pode levar à destruição do próprio Universo.

OK, todos sabemos que o bom e velho Hawking é mesmo dado a afirmações grandiosas. Recentemente ele disse que talvez buracos negros não existissem. Mas esta bateu todos os recordes. Poderia mesmo um experimento de física levar ao fim do cosmos como o conhecemos?
O físico delineia a ideia não num trabalho científico, mas no prefácio de um novo livro chamado “Starmus”, um apanhado de artigos de astrônomos e astronautas renomados, reunidos num festival científico de mesmo nome realizado em Tenerife, na Espanha, em 2011 (a segunda edição acontecerá em duas semanas).
“O potencial de Higgs tem a preocupante característica de que possa se tornar metaestável em energias acima de 100 bilhões de giga-elétronvolts (GeV)”, escreveu o cientista britânico. “Isso significa que o Universo poderia sofrer um decaimento catastrófico do vácuo, com uma bolha do vácuo verdadeiro se expandindo à velocidade da luz. Isso poderia acontecer a qualquer momento, e não veríamos o que nos atingiu.”
É de apavorar, não? Mas calma, não priemos cânico. Vamos primeiro tentar entender a história, e depois perceber que não é tão ruim quanto parece.

O SEGREDO DA MASSA
O bóson de Higgs, talvez você se lembre, causou muito alarde em 2012, quando foi finalmente descoberto, após meio século de busca. Os experimentos conduzidos no LHC, o Grande Colisor de Hádrons, confirmaram que essa partícula — a peça que faltava no quebra-cabeças da física de altas energias — de fato existe e é a responsável pela massa de todas as outras partículas.
Talvez não soe tão grandioso posto dessa forma, mas lembre-se: a massa é o que gera a gravidade. E, se não houvesse gravidade no Universo, estrelas não poderiam se formar, nem planetas, nem nós. Não é à toa que o físico ganhador do Nobel Leon Lederman deu a ela esse apelido imponente, “partícula de Deus” (ou “partícula-Deus”, como queira).
Um detalhe importante: não é a partícula em si que produz a massa. É o campo associado a ela — uma entidade real que permeia o espaço. Em essência, o campo de Higgs é como uma gosma pegajosa que existe em toda parte. As demais partículas, ao atravessá-lo, sofrem resistência. E com isso ganham suas massas. Cada partícula interage de forma diferente, e por isso tem massa diferente. Já uma partícula que parece indiferente ao campo de Higgs é o fóton, que faz a luz. Por isso a luz viaja pelo espaço na velocidade máxima permitida — ela não sente a gosma pegajosa e, portanto, não tem massa.
Certo. O que Hawking está dizendo é que alguns cálculos sugerem que nem sempre esse campo de Higgs se comporta dessa maneira — o potencial é “metaestável”. Se você colocar energia suficiente nele, talvez ele se torne outra coisa. E aí é como desligar a massa das partículas, reajustá-la ou invertê-la. A gravidade para de funcionar do jeito tradicional e o espaço se expande violentamente. A própria matéria se dissipa, com seus componentes todos subitamente acelerando à velocidade da luz, sem ter mais as amarras da gosma pegajosa.
Não bom.
SEM RISCO IMEDIATO
A única coisa que nos deixa tranquilos é a energia envolvida para que isso — talvez, apenas talvez — aconteça. Hawking fala em 100 bilhões de gigaelétron-volts. É um montão. Para que se tenha uma ideia, o Higgs foi descoberto no LHC com uma energia de 4.000 gigaelétron-volts. De 4.000 para 100.000.000.000 tem um bocado de zero a mais.


 Um acelerador de partículas que atinja 100 bilhões de gigaelétron-volts teria de ser maior que a Terra, e é improvável que seja financiado no atual clima econômico”, brinca o físico britânico.
A grande pergunta é: o potencial do Higgs é mesmo metaestável? Ou seja, é possível em tese bagunçá-lo e zoar o Universo? Ninguém sabe. Contudo, não parece absurdo.
Afinal, alguma coisa muito parecida com isso deve ter acontecido lá atrás, 13,8 bilhões de anos atrás, para dar início à expansão do Universo. Em seu texto, Hawking sugere que a melhor forma de investigarmos essa questão cientificamente é justamente olharmos para trás, para o Big Bang, onde talvez tenha havido a energia necessária para desestabilizar o Higgs.
http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/files/2014/09/lhc.jpg
O LHC encontrou o bóson de Higgs. Não tente isso em casa.

 Um acelerador de partículas que atinja 100 bilhões de gigaelétron-volts teria de ser maior que a Terra, e é improvável que seja financiado no atual clima econômico”, brinca o físico britânico.
A grande pergunta é: o potencial do Higgs é mesmo metaestável? Ou seja, é possível em tese bagunçá-lo e zoar o Universo? Ninguém sabe. Contudo, não parece absurdo.
Afinal, alguma coisa muito parecida com isso deve ter acontecido lá atrás, 13,8 bilhões de anos atrás, para dar início à expansão do Universo. Em seu texto, Hawking sugere que a melhor forma de investigarmos essa questão cientificamente é justamente olharmos para trás, para o Big Bang, onde talvez tenha havido a energia necessária para desestabilizar o Higgs.
UMA IMODESTA ESPECULAÇÃO
Permita-me, caro leitor, compartilhar um voo da minha imaginação diante dessas observações de Hawking.
Imagine por um momento que houvesse um outro universo antes do nosso — antes do familiar Big Bang, ocorrido 13,8 bilhões de anos atrás. Nesse antigo cosmos hoje inacessível, talvez até destruído ou sobreposto pelo nosso, havia uma civilização tão curiosa quanto a humana. Eles gradualmente galgaram os degraus do avanço tecnológico, indo de paus e pedras a bombas atômicas e aceleradores de partículas, como nós fizemos.
Então eles excederam nossas atuais capacidades. Em muito. E descobriram, com certo espanto, que seu Universo não era tão confortável quanto poderia ser. Talvez tenham identificado que ele fosse acabar num Big Crunch, esmagado pela própria gravidade, ou quiçá consumido pelo frio e inexorável avanço da entropia, destruindo toda e qualquer estrutura que pudesse nutri-los. Mas esta civilização não queria morrer, nem queria ver o cosmos encontrar seu fim.
Decidiram então aplicar todos os seus conhecimentos avançados em um experimento final — a desestabilização do campo de Higgs e a consequente ressurreição do Universo. A iniciativa produziria uma imensa bolha de espaço-tempo, crescendo a uma velocidade espantosa e convertendo energia do vácuo em matéria. Um novo cosmos nasceria. Talvez eles pudessem adentrá-lo no instante exato para sobreviver em seu interior. Talvez não. De toda forma, tomaram todo o cuidado, em seus cálculos, para produzir a quantidade exata de matéria e energia no processo de expansão cósmica, de forma que o novo cosmos não só fosse duradouro e hospitaleiro, como também plano e infinito até onde se pudesse ver. Amigável à vida. Nascia daí o nosso Universo, cuja sintonia fina é aparente e espanta os cosmólogos, mas somos hoje incapazes de compreender por quê.
Será que algo assim pode ter acontecido? Deixo ao leitor a inglória tarefa de julgar a verossimilhança.
Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook
P.S.: Um ano atrás, escrevi um conto baseado numa premissa parecida, que foi publicado numa edição especial da “Superinteressante” e indicado ao Prêmio Abril. Você pode lê-lo aqui.

UMA IMODESTA ESPECULAÇÃO
Permita-me, caro leitor, compartilhar um voo da minha imaginação diante dessas observações de Hawking.
Imagine por um momento que houvesse um outro universo antes do nosso — antes do familiar Big Bang, ocorrido 13,8 bilhões de anos atrás. Nesse antigo cosmos hoje inacessível, talvez até destruído ou sobreposto pelo nosso, havia uma civilização tão curiosa quanto a humana. Eles gradualmente galgaram os degraus do avanço tecnológico, indo de paus e pedras a bombas atômicas e aceleradores de partículas, como nós fizemos.
Então eles excederam nossas atuais capacidades. Em muito. E descobriram, com certo espanto, que seu Universo não era tão confortável quanto poderia ser. Talvez tenham identificado que ele fosse acabar num Big Crunch, esmagado pela própria gravidade, ou quiçá consumido pelo frio e inexorável avanço da entropia, destruindo toda e qualquer estrutura que pudesse nutri-los. Mas esta civilização não queria morrer, nem queria ver o cosmos encontrar seu fim.
Decidiram então aplicar todos os seus conhecimentos avançados em um experimento final — a desestabilização do campo de Higgs e a consequente ressurreição do Universo. A iniciativa produziria uma imensa bolha de espaço-tempo, crescendo a uma velocidade espantosa e convertendo energia do vácuo em matéria. Um novo cosmos nasceria. Talvez eles pudessem adentrá-lo no instante exato para sobreviver em seu interior. Talvez não. De toda forma, tomaram todo o cuidado, em seus cálculos, para produzir a quantidade exata de matéria e energia no processo de expansão cósmica, de forma que o novo cosmos não só fosse duradouro e hospitaleiro, como também plano e infinito até onde se pudesse ver. Amigável à vida. Nascia daí o nosso Universo, cuja sintonia fina é aparente e espanta os cosmólogos, mas somos hoje incapazes de compreender por quê.
Será que algo assim pode ter acontecido? Deixo ao leitor a inglória tarefa de julgar a verossimilhança.
Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook
P.S.: Um ano atrás, escrevi um conto baseado numa premissa parecida, que foi publicado numa edição especial da “Superinteressante” e indicado ao Prêmio Abril. Você pode lê-lo aqui.


GUERRA:.....Como pode ser explicada a violência extrema do Estado Islâmico?

execução coletiva realizada por militantes do grupo rebelde Estado Islâmico
O Estado Islâmico (EI), grupo radical elevado à categoria de nova ameaça global, é conhecido pela agressividade com que trata os adversários. Mas a crueldade de seus atos pode ser explicada?

Nos últimos meses, o grupo tornou-se sinônimo de brutalidade – decapitações, crucificações, apedrejamentos e genocídios pautam as ações. Militantes enterram vítimas vivas e promovem todo tipo de limpeza religiosa e étnica no Iraque e na Síria, onde atuam.

Mas enquanto a selvageria pode parecer insensível para a vasta maioria dos seres humanos civilizados, para o EI trata-se de uma escolha racional. É uma decisão consciente aterrorizar os inimigos, além de impressionar e cooptar novos recrutas. O Estado Islâmico é adepto da doutrina de guerra total sem limites e restrições – não há, por exemplo, arbitragem ou transigência quando se trata de solucionar disputas mesmo com rivais islamitas sunitas. E, ao contrário da organização que lhe deu origem, a al-Qaeda, o EI não recorre à teologia para justificar seus crimes.

A violência tem suas raízes no que pode ser identificado como "duas ondas", à luz da escala e intensidade da brutalidade do EI.

A primeira onda, liderada por discípulos de Sayyid Qutb – um islamita egípcio radical considerado o teórico supremo do jihadismo moderno -, tinha como alvo regimes árabes seculares pró-Ocidente ou o que eles chamavam de "inimigo próximo", e, no geral, demonstravam moderação no uso da violência política.

Após o assassinato do presidente egípcio Anwar Sadat, em 1980, essa insurgência islamita foi dissipada até o final dos anos 90 a um custo de 2 mil vidas. Muitos dos militantes haviam seguido para o Afeganistão nos anos 80 para combater um novo inimigo global – a União Soviética.

'Máquina mortífera'

A jihad ("guerra santa") afegã contra os soviéticos deu origem à segunda onda que, mais tarde, ganhou um alvo específico – o "inimigo distante": os Estados Unidos, e em menor grau, a Europa.

Essa segunda onda foi encabeçada por um multimilionário saudita que virou revolucionário, Osama Bin Laden.

Bin Laden fez um grande esforço para racionalizar o ataque da al-Qaeda aos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001, chamando-o de "jihad defensiva", ou retaliação contra a dominação americana das sociedades muçulmanas.

Estados Unidos

Ao explorar a brecha entre sunitas e xiitas no Iraque e o aprofundamento da guerra civil sectária na Síria, al-Baghdadi construiu uma poderosa base de apoio entre sunitas rebeldes e fundiu seu grupo nas comunidades locais.

Ele também reestruturou sua rede militar e cooptou militares experientes do antigo Exército de Saddam Hussein que acabaram por transformar o EI em uma força de combate sectária profissional.

Até agora, o EI vem focando nos xiitas e não no "inimigo distante". A luta contra os EUA e a Europa está distante e não é uma prioridade: é preciso, primeiro, aguardar a libertação em casa.

No auge de bombardeios israelenses de Gaza em agosto, militantes criticaram o EI nas redes sociais por matar muçulmanos enquanto não faziam nada para ajudar os palestinos.

O EI reagiu dizendo que a luta contra os xiitas têm prioridade sobre todo o resto.

SUZANO:...empresa construirá rotatória sobre viaduto Leon Feffer.


 o prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB) e o diretor presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), Joaquim Lopes da Silva Júnior



EMTU vai construir rotatória em trevo sob Viaduto Leon Feffer

Um projeto de requalificação viária, que inclui a implantação de uma rotatória no trevo embaixo do Viaduto Leon Feffer, foi apresentado ontem. O assunto foi discutido em reunião, em São Paulo, com o prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB) e o diretor presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), Joaquim Lopes da Silva Júnior. O objetivo era tratar sobre as intervenções que serão executadas no entorno da estação de trem e da Estação da Transferência que será construída na Rua Doutor Prudente de Moraes (SP-66). A implantação do projeto será de responsabilidade da EMTU.
A medida é necessária por conta do atual cenário logístico compreendido entre as ruas Prudente de Moraes e Antonio Marques Figueira. O projeto da rotatória prevê acabar com a fila de veículos vindos nos dois sentidos, além de tirar o impacto da Prudente de Moraes por meio da Estação de Transferência ao lado do equipamento. "É um momento muito importante para Suzano. Esse trabalho integrado com a EMTU e a CPTM garantirá inúmeros benefícios para a população, tendo em vista que tanto o transporte sobre trilhos, quanto o sobre rodas coletivo e particular terão avanços no que diz respeito ao tempo, conforto e acessibilidade. Esse encontro mostra o quanto a EMTU está empenhada em resolver nosso sistema viário", pontuou Tokuzumi.
Para se ter uma ideia, o projeto que inclui a rotatória integra desapropriações e a cessão de uma área da CPTM para que seja implantado o Terminal de Transferência. Tanto na SP-66, Antonio Marques Figueira e o final da General Francisco Glicério, Benjamin Constant e Armando de Salles Oliveira terão impactos positivos, beneficiando as baias de ônibus e vans na cidade. Atualmente, Suzano possui nesse trecho 16 linhas intermunicipais e outras 10 municipais.
De acordo com o presidente da EMTU, a solução do "gargalo" na Prudente de Moraes é prioridade. "É uma ação integrada muito positiva", disse Silva Júnior. Ainda segundo ele, o novo Terminal de Ônibus Intermunicipal contará com duas plataformas de 90 metros, salas operacionais e banheiros públicos.
"Estamos trabalhando fortemente para que, a partir do próximo ano, a população que utiliza o transporte público da cidade possa usufruir de equipamentos bem estruturados, além de uma infraestrutura no viário que atenda as necessidades da região. Nosso empenho é para que a Prudente de Moraes não seja local de aglomeração de veículos coletivos. Acredito que todas essas propostas serão executadas e que a cidade terá tanto no lado sul quanto norte uma estrutura adequada e um sistema viário em boas condições de uso", pontuou Tokuzumi.
De acordo com o prefeito, a criação desse terminal é extremamente necessária para melhorar a mobilidade do município. "Esse terminal visa corrigir um erro de planejamento da antiga gestão. Hoje, praticamente todos os ônibus param na Rua Prudente de Moraes, que fica congestionada. Esse é o fruto da falta de investimento que existiu nos últimos anos. Além disso, muitas pessoas passam pelo local e isso deve aumentar muito depois da entrega da nova estação e do Rodoanel", afirmou.

ESTADOS UNIDOS:....Obama quer armar rebeldes da oposição síria para "destruir" Estado Islâmico.


Presidente norte-americano Barack Obama faz pronunciamento oficial sobre o EI


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quer o apoio do Congresso para armar e treinar grupos rebeldes que lutam contra o regime do ditador sírio Bashar al Assad para que enfrentem os jihadistas do EI (Estado Islâmico).
"Esta noite, peço ao Congresso que nos dê mais autoridade e recursos para treinar e equipar os combatentes"
Obama também anunciou a formação de uma coalizão para lidar com o problema do terrorismo na região considerada problemática "pelos Estados Unidos e seus aliados" --o Oriente Médio e o norte da África, nas palavras do presidente americano--, sem anunciar quais países participariam do esforço conjunto.

Em discurso à nação nesta quarta-feira (10), Obama afirmou que os Estados Unidos não podem "contar com a ajuda de Assad para enfrentar esta ameaça", e que o ditador "tem o sangue de seu próprio povo nas mãos".

Estratégia dos EUA para enfrentar o EI terá quatro pilares

Obama afirmou que irá manter a estratégia de bombardear alvos do EI no Iraque e disse que a campanha aérea também irá se estender até a Síria: "não haverá lugar seguro para os terroristas. Iremos destruir o EI onde quer que estejam".
"Já conduzimos mais de 150 ataques aéreos no Iraque. Destruímos armas e matamos terroristas. Os ataques ajudaram a salvar a vida de milhares de homens, mulheres e crianças", disse.
O domínio aéreo americano no Iraque permitiu que os caças realizassem operações contra alvos jihadistas sem sofrer nenhuma baixa.
O segundo pilar será o aumento da presença americana para combater a organização terrorista.
O presidente americano anunciou o envio de mais 475 conselheiros militares para o Iraque, que devem auxiliar as tropas locais com treinamento e informações, e reiterou que nenhuma tropa americana se envolverá em conflitos terrestres.
"Não podemos fazer pelo Iraque o que o Iraque precisa fazer ele mesmo", afirmou o presidente norte-americano.
O reforço, que vem na forma de "inteligência militar" e não na presença maciça de tropas terrestres, será a base do terceiro pilar, que é o aumento das ações de inteligência militar conjunta dos EUA e das forças iraquianas para prevenir ataques do EI.
O auxílio humanitário destinado a minorias religiosas perseguidas pela organização terrorista é o quarto pilar do plano anunciado por Obama contra o EI. Entre as minorias que verão a ampliação da ajuda estão cristãos e mesmo grupos muçulmanos perseguidos pelo EI.
"Na próxima reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas vamos começar a trabalhar com a coalizão que irá nos apoiar na luta contra os terroristas", disse.

Estado Islâmico "não é islâmico"

Obama afirmou também que o EI não é "nem islâmico" e "nem um Estado". "Nenhuma religião apoia a morte de inocentes", afirmou. Segundo Obama, o grupo "era uma afiliada da Al Qaeda que se aproveitou da situação na Síria e no Iraque para dominar territórios".
"A região já viu muito derramamento de sangue, e mesmo nesse ambiente o EI se destaca pela violência contra inocentes e crianças", afirmou.

Ameaça aos EUA

De acordo com o presidente, "ainda não há nenhuma evidência de que o EI planeja atacar os Estados Unidos", mas que o grupo "representa uma ameaça para nossos cidadãos na região, além de ameaçar a estabilidade e a segurança de nossos aliados".
Obama também citou os dois jornalistas americanos decapitados por militantes do grupo jihadista em agosto. As imagens foram divulgadas nas redes sociais.
O discurso do presidente foi feito um dia antes do aniversário de 13 anos dos ataques de 11 de setembro de 2001.
O discurso de Obama aconteceu após a ida de John Kerry, secretário de Estado americano, ao Iraque. O condutor da política externa do governo Obama elogiou os planos do novo governo para delegar mais poderes à minoria sunita e construir relações melhores com os curdos.
Muitos sunitas que se sentem marginalizados pela administração liderada pelos xiitas, anteriormente apoiada pelo Estado islâmico.
Kerry afirmou que o novo governo iraquiano tinha de ser o "motor" para a luta global contra o EI. (com agências internacionais)

ZOOLÓGICO:....Dinossauros mecanizados transformam zoológico de SP em 'Jurassic Park'.

Réplica animatrônica de Tyrannossaurus rex que faz parte da exposição "O Mundo dos Dinossauros", no Zoológico de São Paulo
Angaturama limai é uma das 22 espécies de dinossauros descoberta no Brasil



  Entre a copa das árvores, répteis gigantes se movimentam e emitem grunhidos em meio à fumaça que emana de um vulcão em erupção. A descrição se encaixaria em qualquer um dos filmes da franquia 'Jurassic Park', aquela que o diretor norte-americano Steven Spielberg estreou em 1993 --mas o parque jurássico agora fica em São Paulo. Quem visitar o Parque Zoológico de São Paulo no bairro da Água Funda, na zona sul da capital paulista, a partir desta quarta-feira (10), poderá caminhar entre réplicas de dinossauros de tamanho real, que se mexem e emitem sons, além de conhecer mais sobre esses animais extintos há 65 milhões de anos e que ainda hoje despertam a curiosidade de crianças e adultos.
A exposição "O Mundo dos Dinossauros" é a primeira desse porte a ser realizada em um ambiente externo no Brasil, em uma porção de 3.000 metros quadrados da Mata Atlântica. Os 20 dinossauros animatrônicos –tecnologia que utiliza mecânica e robótica para dar vida a bonecos, comumente usada no cinema– dividem espaço com espécies de aves, macacos e preguiças que vivem soltos no zoológico. A mostra ainda conta com réplicas de fósseis de diferentes espécies de dinossauros, que habitaram a Terra entre os períodos Triássico, Jurássico e Cretáceo, todos da era Mesozoica.
O mais alto deles é o Tyrannosaurus rex, que mede 18 metros de altura e tem o grunhido mais alto da mostra. "O nosso tem 18 metros, mas o animal chegava a ter um pouco menos: 13 metros", admite o paleontólogo da exposição, Bruno Navarro. "O mais comprido é o Apatossaurus, que tem 22 metros de comprimento e 12 metros de altura". Segundo Navarro, a mostra traz espécies descobertas em todo globo terrestre. "Selecionamos os mais representativos, as espécies mais conhecidas do público", diz.
Réplica animatrônica de Tyrannossaurus rex que faz parte da exposição "O Mundo dos Dinossauros", no Zoológico de São Paulo
O mais conhecido é, sem dúvida, o norte-americano Tyrannossaurus rex. Mas o Brasil também está representado na mostra, através da réplica do Angaturama limai, espécie de dinossauro descrita em 1996. Os restos mortais do animal brasileiro foram descobertos na Chapada do Araripe, no Ceará, e o seu nome deriva do tupi, que quer dizer "nobre". Ele media até cinco metros de altura e oito de comprimento, chegava a pesar três toneladas e viveu há 105 milhões de anos, durante o período Cretáceo.
"O Brasil possui 22 espécies de dinossauros descobertas, mas elas são pouco conhecidas. Aqui na exposição há duas espécies da América do Sul, o Angaturama limai, que é brasileira, e o Amargassaurus, argentino [herbívoro quadrúpede que viveu do Jurássico até o Cretáceo]", explica Navarro. As espécies brasileiras foram descobertas no Rio Grande do Sul, São Paulo, Ceará, Paraíba, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso e, segundo o palentólogo, existiram nos períodos Triássico e Cretáceo. "Temos dinossauros mais velhos, de 225 milhões de anos, e mais recentes, do último período. Não tivemos dinossauros no período Jurássico, só encontramos pegadas deles porque aqui em São Paulo existia um grande deserto, onde viviam animais muito pequenos".

FALTA D'AGUA:..Cantareira opera abaixo de 10% pela 1ª vez após retirada do volume morto


 

Nível do sistema atingiu índice de 9,8% nesta quarta-feira (10).
Reserva das represas Jaguari-Jacareí e Atibainha já é retirada pela Sabesp

    esmo com a captação de água da reserva técnica das represas Jaguari-Jacareí e Atibainha, o nível do Sistema Cantareira atingiu índice de 9,8% nesta quarta-feira (10), segundo medição da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Esta é a primeira vez que o nível dos reservatórios fica abaixo dos 10% desde o início da exploração do chamado volume morto, em maio.
O Cantareira abastece, atualmente, cerca de 6,5 milhões de pessoas só na Grande São Paulo. A Sabesp admite que a situação é crítica por causa da falta de chuva desde o início do ano, mas afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que tem adotado medidas para o problema, como interligação dos sistemas, redução de perdas na distribuição, uso do volume morto e bonificação aos moradores que economizarem água.

Queda constante
Quando a reserva técnica da Jaguari-Jacarei começou a ser usada, o nível do Cantareira subiu de 8,2% para 26,7% no dia 16 de maio. Segundo a Sabesp, com a entrada de 182,5 bilhões de litros de água do volume morto, foram acrescidos 18,5% sobre o volume total do sistema (982,07 bilhões de litros).
Mesmo assim, o sistema registrou 101 dias de queda. As represas tiveram recuperação após a chuva no início de setembro, mas voltaram a baixar depois disso. O sistema não consegue aumentar seu nível há 145 dias. Desde 25 de maio, quando o nível estava em 25,6% da capacidade das represas, foram mais de três meses com queda nos índices.
Em agosto, a Sabesp começou a retirar água da reserva técnica da Represa Atibainha, entre Mairiporã e Nazaré Paulista. O reservatório foi o segundo a ter a captação na área mais profunda, abaixo das comportas. Segundo a companhia, as novas ações já eram previstas, com custo total de R$ 80 milhões.



Barco fora da água após Represa de Nazaré Paulista baixar por causa da estiagem (Foto: Isabela Leite/G1)
Motivo da crise
A crise no Cantareira começou por causa da pouca chuva e das altas temperaturas no último verão. No inverno, segundo a meteorologista Josélia Pegorim, da Climatempo, os níveis de chuva estão próximos do esperado para a estação.
“Todo o problema de abastecimento de água na Grande São Paulo é decorrente da falta de chuva que aconteceu especialmente no verão 2013/2014”, disse.
Segundo ela, a expectativa é de voltar a chover regularmente apenas em outubro. “O quadro de seca vai continuar. A expectativa é que a chuva comece a cair com alguma regularidade mais no final de setembro e principalmente em outubro”, diz. Ainda assim, a possibilidade de as chuvas atrasarem não está descartada.
O Sistema Cantareira é formado pelas represas Jaguari, Jacareí, Cachoeira e Atibainha. Elas ficam no estado de São Paulo e no sul de Minas Gerais. Juntas, as represas fornecem água, atualmente, para cerca de 6,5 milhões de pessoas na cidade de São Paulo (zonas Norte, Central e parte das zonas Leste e Oeste), além de Franco da Rocha, Francisco Morato, Caieiras, Osasco, Carapicuíba, Barueri e Taboão da Serra, São Caetano do Sul, Guarulhos e Santo André. Parte do interior do estado também recebe água do sistema.

terça-feira, setembro 09, 2014

VIAGEM:....Cruzeiros brasileiros visitarão praias paradisíacas e balneário luxuoso.

BÚZIOS (RJ): MSC Preziosa, Pullmantur Zenith, MSC Poesia, Splendour of the Seas e Costa Pacifica são alguns dos navios que visitarão Búzios durante a temporada brasileira de cruzeiros, que começa no próximo mês de novembro e vai até os primeiros dias de maio de 2015. No local, é possível conhecer praias de água cristalina e cercadas por muito verde
ITAJAÍ (SC): Pullmantur Zenith e Pullmantur Empress são dois dos navios que visitam a cidade catarinense durante cruzeiros que ligam o Sudeste brasileiro com Uruguai e Argentina
BUENOS AIRES (ARGENTINA): Ao lado de Montevidéu e Punta del Este, no Uruguai, a capital argentina será um dos principais portos internacionais da temporada brasileira de cruzeiros. Passam por lá navios como o Costa Pacifica, Splendour of the Seas e MSC Poesia, em roteiros que, geralmente, duram mais de uma semana. Haverá saídas tanto de Santos (SP) como do Rio de Janeiro (RJ) para Buenos Aires
RIO DE JANEIRO (RJ): A capital fluminense será o principal destino para cruzeiros de Réveillon da temporada. Na virada do ano, estarão nas águas de Copacabana navios como o MSC Preziosa, o Splendour of the Seas, o Pullmantur Zenith e o Costa Favolosa. O Rio também será ponto de embarque para diversas viagens marítimas, como as feitas pelos navios Costa Pacifica e Pullmantur Sovereig
PUNTA DEL ESTE (URUGUAI): O luxuoso balneário de Punta del Este, tradicional destino de férias de famílias endinheiradas da América do Sul, receberá diversos navios vindos do Brasil entre novembro de 2014 e abril de 2014. Entre os transatlânticos que visitam o local estão o Splendour of the Seas e o MSC Poesia
SALVADOR (BA): Os navios Pullmantur Zenith, Pullmantur Sovereign, MSC Preziosa, MSC Lirica e Costa Favolosa passam por Salvador durante a temporada brasileira de viagens marítimas. A capital baiana será o principal destino dos cruzeiros na época do Carnaval de 20


PORTO BELO (SC): O balneário catarinense será ponto de parada de alguns navios em viagem entre o Sudeste brasileiro e a Argentina. Durante a temporada, passam pela cidade embarcações como o Splendour of the Seas, o Costa Pacifica e o Costa Favolosa Nancy Campos/UO


SANTOS (SP): A cidade paulista será o principal ponto de embarque durante a temporada brasileira de cruzeiros, que começa no próximo mês de novembro e vai até os primeiros dias de maio de 2015: navios como Pullmantur Empress, MSC Preziosa, Splendour of the Seas, Pullmantur Sovereign e Costa Favolosa começarão seus cruzeiros no município, partindo para roteiros que abrangerão do Nordeste à Argentina Tadeu Nascimento/

MONTEVIDÉU (URUGUAI): A capital uruguaia será outro destino concorrido dos cruzeiros internacionais na temporada. Muitos dos navios que visitam a cidade também passam por Buenos Aires ou Punta del Este (ou os dois). Pullmantur Empress, Splendour of the Seas, Costa Favolosa e MSC Lirica são algumas das embarcações que, entre o final deste ano e os primeiros meses de 2014,