#

sábado, abril 19, 2014

PIAUÍ:Menino de 10 meses é morto em povoado Taboca do Pau Ferrado.

Crime ocorreu nesta casa na Zona Rural de Teresina (Foto: Reprodução/TV Clube)
Crime ocorreu nesta casa na Zona Rural de Teresina (Foto: Reprodução/TV Clube)

Menino tinha 10 meses e morava com a mãe na zona rural de Teresina.
Companheiro da mãe teria levado amigos para beber na noite anterior.

Um bebê de 10 meses foi encontrado morto dentro de uma rede nesta sexta-feira (18) no Parque São Matheus, povoado Taboca do Pau Ferrado, zona rural de Teresina. Segundo a polícia, a mãe estranhou o fato de a criança estar demorando a acordar e quando foi ao quarto viu que o filho tinha sangue na boca e algumas lesões pelo corpo.
Mãe do bebê diz que estava dormindo quando o crime ocorreu, em Teresina (Foto: Reprodução/TV Clube)
Mãe do bebê diz que estava dormindo quando o
crime ocorreu (Foto: Reprodução/TV Clube)
 Segundo informações do cabo Antonio Mota, do 8º Batalhão da Polícia Militar, a mãe do bebê, Elaina Maria da Silva Ramos relatou que por volta das 11h de quinta-feira (17) o companheiro chegou com mais quatro amigos para beber. “Ela nos contou que eles ligaram o som e a mulher pediu para que o volume não ficasse alto para não acordar o bebê. Elaina foi dormir e eles continuaram bebendo. Quando ela acordou, o namorado estava deitado no chão, ao lado da cama totalmente embriagado”, contou o policial.

Para a polícia o companheiro de Elaina identificado como Lucas Roniel Pereira da Silva, 21 anos, disse que bebeu bastante e que não lembrava de nada. “Ele ainda nos disse que seria incapaz de fazer alguma coisa com o bebê, no entanto, estamos tentando localizar as outras pessoas e pegar mais informações para saber o que houve de fato”, disse Antonio Mota.

Vizinhos ficaram bastante revoltados com a morte da criança e relataram para os policiais que o companheiro da mãe do bebê seria usuário de drogas e se envolvia constantemente em confusões pela região.

A Delegacia de Homicídios foi acionada e o Instituto Médico Legal fará a remoção do corpo para exames que irão identificar a causa da morte.

EVEREST:avalanche deixa 12 mortos.

Monte Everest tem 8.848 metros de altura (Foto: Tim Chong/Reuters)

Deslizamento aconteceu a cerca de 6.200 metros de altitude.
Everest é a montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altura.

Pelo menos doze sherpas nepaleses morreram e três ficaram gravemente feridos nesta sexta-feira ao serem soterrados por uma avalanche quando se dirigiam para um dos acampamentos base no Everest, informaram à Agência Efe fontes oficiais.
O deslizamento ocorreupor volta das 7h (horário local, 1h15 de Brasília) a cerca de 6.200 metros de altitude, quando aproximadamente 50 alpinistas, a maioria sherpas nepaleses, deslocavam-se do acampamento base I para o II, afirmou um alto funcionário do corpo de montanhista, Tilak Ram Pandey.
Os números iniciais indicavam nove mortos na avalanche (veja no vídeo ao lado).
O número de mortos pode aumentar, pois os operadores de turismo não confirmaram se há mais montanhistas desaparecidos, informou um funcionário do ministério do Turismo nepalês, Madhu Sudan Burlakoti.
Um porta-voz das equipes de resgate, Lakpa Norbu Sherpa, afirmou ao jornal 'Ekantipur' que o número de vítimas fatais é de 14 e que 13 dos corpos foram recuperados, enquanto 'um deles não poderá ser transportado até amanhã devido ao mau tempo'.
Os sherpas, que ajudam a escalada dos alpinistas, dirigiam-se para um acampamento base mais alto e alguns escaladores estrangeiros tinha se unido ao grupo para se aclimatarem com a altitude, como é habitual.
A temporada de escalada de primavera começou oficialmente em março, mas os primeiros alpinistas só iniciaram em abril a subir o Everest, a montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altura.
Em setembro de 2012, em uma das piores avalanches dos últimos anos, na montanha Manaslu, no Himalaia, 11 alpinistas morreram, entre eles oito franceses e um espanhol.
Em novembro de 1995, um deslizamento no Everest deixou 26 montanhistas mortos, dos quais 12 eram japoneses e o restante nepaleses.

NAUFRAGO:Capitão do barco naufragado é preso na Coreia do Sul.

Capitão da balsa que naufragou, Lee Joon-Seok, é visto ao chegar à corte de Mokpo nesta sexta-feira (18) (Foto: Reuters/Yonhap)
Capitão da balsa que naufragou, Lee Joon-Seok, é visto ao chegar à corte de Mokpo nesta sexta-feira (18). Ele foi preso na madrugada de sábado (19) (Foto: Reuters/Yonh
Parentes se amontoam em ginásio de Jindo à espera de notícias da vítimas do naufrágio  (Foto: Kim Hong-Ji /Reuters)
Parentes se amontoam em ginásio de Jindo à espera de notícias da vítimas do naufrágio (Foto: Kim Hong-Ji /Reuters)
Parente de vítima do naufrágio chora à espera de notícias do resgate (Foto: Kim Hong-Ji /Reuters)
Adicionar legenda
Barco se aproxima para ajudar no resgate da balsa naufragada  (Foto: Yonhap/Reuters)
Barco se aproxima para ajudar no resgate da balsa naufragada (Foto: Yonhap/Reuters)
O capitão e outros dois membros da tripulação da balsa que naufragou nesta quarta-feira (16) na Coreia do Sul foram presos na madrugada deste sábado (19) no país, ainda sexta-feira (18) no horário do Brasil, segundo informa a agência sul-coreana Yonhap.

Lee Joon-Seok, capitão da embarcação, enfrenta cinco acusações, incluindo negligência e violação do direito marítimo, destacou a agência. Promotores acreditam que tanto o capitão como os dois tripulantes infringiram a lei ao saírem do barco no início do resgate, sem levar em conta a segurança da maioria dos 475 passageiros a bordo, de acordo com a agência Efe.

A balsa que saiu de Incheon em direção à ilha Jeju naufragou na manhã desta quarta-feira (16) na Coreia do Sul com 475 passageiros a bordo, a maioria estudantes. Até agora, o número de mortos no acidente chega a 28. Além disso, o vice-diretor da escola sul-coreana Danwon, que acompanhava alunos na viagem do barco que naufragou, cometeu suicídio, disse a polícia nesta sexta. Foram resgatados 179 passageiros. Outas 268 pessoas seguem desaparecidas, segundo o último boletim das autoridades citado pela agência A.
Um suboficial, e não o capitão, pilotava a balsa no momento da tragédia em águas sul-coreanas há dois dias, informou a Justiça nesta sexta-feira (hora local).
"Era o terceiro-tenente que estava no comando no momento do acidente", declarou o procurador-geral Park Jae-eok, em entrevista coletiva. "O capitão não estava no leme", revelou.
Violentamente criticado pelas famílias dos desaparecidos por abandonar a embarcação quando centenas de passageiros estavam presos, o capitão Lee Joon-seok estava na "na popa", acrescentou o procurador.
As causas do acidente ainda são desconhecidas. Vários passageiros disseram ter ouvido um forte ruído, quando a balsa parou de repente. Isso pode significar que o barco encalhou, batendo no fundo, ou que se chocou contra algum objeto submerso.
Alguns especialistas também sugerem que a carga da balsa , que transportava 150 veículos, tenha se deslocado e desequilibrado a embarcação. O capitão garantiu que não bateu em rocha alguma.
Cercado pela imprensa na sede da Guarda Costeira, ele pediu desculpas nesta quinta. "'Sinto muito, de verdade, pelos passageiros, pelas vítimas e pelas famílias", declarou.
Vice-diretor se suicida
O vice-diretor da escola sul-coreana Danwon, que acompanhava os alunos do ensino médio na viagem do barco que naufragou cometeu suicídio, disse a polícia nesta sexta-feira (18). Kang Min-Gyu, de 52 anos, foi encontrado morto enforcado pelo cinto em uma árvore que fica do lado de fora do ginásio da cidade portuária de Jindo, onde parentes dos alunos desaparecidos estão reunidos.
A polícia disse que Kang não deixou uma nota de suicídio e que eles começaram a procurá-lo depois que ele foi dado como desaparecido por um professor. Ele havia sido resgatado da balsa naufragada.
Mergulhadores estão lutando marés fortes e águas turvas para chegar ao navio afundado, mas a probabilidade de encontrar algum sobrevivente é mínima.
Na escola de Ansan, uma cidade industrial perto de Seul , muitos amigos e familiares de desaparecidos reuniram-se em silêncio sombrio.

MÉXICO: magnitude foi de 7,2.


Terremoto atinge a região de Acapulco, no México

Magnitude foi de 7,2, segundo serviço geológico dos EUA.
Ainda não há registro sobre vítimas.

Paramédicos ajudam uma mulher que desmaiou durante retirada de trabalhadores de um prédio na Cidade do México (Foto: Bernardo Montoya/Reuters)Paramédicos ajudam uma mulher que desmaiou durante retirada de trabalhadores de um prédio na Cidade do México (Foto: Bernardo Montoya/Reuters)
Um terremoto de 7,2 de magnitude, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS),  foi registrado às 9h28 (horário local, 11h28 de Brasília) nesta sexta-feira (18) no estado de Guerrero, ao norte de Acapulco, no México. Ainda não há relatos sobre vítimas;

O coordenador do Serviço de Proteção Civil do México, Luis Felipe Puente, escreveu no Twitter que 'no momento não foram registrados danos pelo terremoto'.
Na superpovoada capital mexicana, situada 490 km ao norte de Tecpan (62.000 habitantes), o prefeito Miguel Ángel Mancera informou sobre retiradas preventivas de edifícios.
Moradores da Cidade do México disseram que objetos caíram das prateleiras em suas casas e muitos ficaram sem energia. Alguns saíram às ruas de pijamas. Não havia relatos imediatos de vítimas ou danos graves.
No entanto, os moradores da capital ficaram abalados pelo terremoto, um dos maiores a atingir o México em vários anos. "Tive que me agarrar a uma árvore como se estivesse bêbado", disse Pedro Hernández, porteiro de um prédio.

Os serviços de emergência da capital estavam percorrendo a cidade, que foi severamente danificada por um terremoto em 1985, quando um tremor de magnitude 8,1 deixou milhares de mortos.
Um funcionário do hotel Fairmont, em Acapulco, disse que a situação estava calma e que os hóspedes tinham retornado ao edifício. "A estrutura está bem", afirmou a mulher, que se identificou apenas como Ana, por telefone.
Funcionários da prefeitura removem destroços de uma parede que desabou devido ao terremoto na Cidade do México (Foto: Bernardo Montoya/Reuters)Funcionários da prefeitura removem destroços de uma parede que desabou devido ao terremoto na Cidade do México (Foto: Bernardo Montoya/Reuters)
Pacientes de um hospital aguardam com familiares do lado de fora após o edifício ser esvaziado em Acapulco (Foto: Jesus Solano/Reuters)Pacientes de um hospital aguardam com familiares do lado de fora após o edifício ser esvaziado em Acapulco (Foto: Jesus Solano/Reuters)
  •  
Pessoas se abraçam após abandonarem suas casas na Cidade do México devido ao terremoto que atingiu a região (Foto: Yuri Cortez/AFP)Pessoas se abraçam após abandonarem suas casas na Cidade do México devido ao terremoto que atingiu a região (Foto: Yuri Cortez/AFP)
Homem com seu cão após a evacuação de um edifício por conta de um terremoto de magnitude 7.5 no México (Foto: Claudia Daut/ Reuters)Homem com seu cão, na Cidade do México, após a evacuação de um edifício por conta de um terremoto de magnitude 7.5 (Foto: Claudia Daut/ Reuters)

quinta-feira, abril 17, 2014

ÍNDIA: imagem do dia.

Oficial de polícia tira fotografia em seu celular de trem que descarrilou perto da estação ferroviária de Jagiroad, fronteira nordeste da Índia, nesta quarta-feira (16). Segundo um oficial, a composição da Northeast Frontier Railway descarrilou, deixando dezenas de pessoas feridas

BAHIA:Polícia Militar entra em greve em Salvador.


Membros da Exército chegam à Bahia nesta quarta-feira (16) para assumir o comando da segurança do Estado, por causa da greve dos policiais militares, iniciada na noite dessa terça (16) pela categoria, após decisão em assembleia. Inicialmente, o governo informou que serão disponilibilizados mais de 5.000 homens das Forças Armadas e da Força Nacional Camila Souza

Um supermercado da rede Casas Freire foi saqueado no bairro de São Marcos, em Salvador, entre a madrugada desta quarta-feira (16) e a noite de terça-feira (15). Diversas lojas e supermercados foram arrombados e saqueados, após policiais militares decretarem greve na noite de ontem
 Vários supermercados e lojas de Salvador amanheceram arrombados e tiveram mercadorias roubadas e saqueadas na madrugada desta quarta-feira (16), após policiais militares entrarem em greve. Até as 9h de hoje, foram registrados roubos em estabelecimentos comerciais nos bairros Baixa dos Sapateiros, Caixa D'Água, Fazenda Grande do Retiro, Vale do Ogunjá, Pau da Lima e São Caetano

Com a greve da Policia Militar, os rodoviários não saíram com os ônibus das garagens, nesta quarta-feira (16), em Salvador. Durante a madrugada, diversas lojas e mercados foram saqueados. Segundo alguns motoristas, enquanto houver insegurança, os veículos não sairão das empresas. A cidade amanheceu sem ônibus nas ruas

Com a greve da Policia Militar, os rodoviários não saíram com os ônibus das garagens, nesta quarta-feira (16), em Salvador. Durante a madrugada, diversas lojas e mercados foram saqueados. Segundo alguns motoristas, enquanto houver insegurança, os veículos não sairão das empresas. A cidade amanheceu sem ônibus nas ruas
O mercado Cesta do Povo, no bairro Ogunjá, foi saqueado durante a madrugada desta quarta-feira (16), em Salvador(BA). Diversas lojas e supermercados foram arrombados e saqueados durante a noite desta terça-feira (15) e madrugada desta quarta, após policiais militares entrarem em greve

quarta-feira, abril 16, 2014

SEUL:uma pessoa morre após navio afundar na Península da Coreia.

Navio afundou entre a Península da Coreia e a Ilha de Jeju, a cerca de 50 quilômetros do continente. (Foto: AP)

Um navio sul-coreano de passageiros carregando mais de 470 pessoas afundou na costa sul do país na manhã da quarta-feira, 16 (horário local), começo da madrugada no Brasil. Pelo menos uma pessoa morreu, de acordo com a Guarda Costeira da Coreia do Sul.
O navio, identificado como Sewol, carregava 325 estudantes do ensino médio que iriam para a ilha de Jeju. Todos os alunos foram resgatados.
Ao começar tombar, a tripulação enviou um pedido de socorro para a Guarda Costeira. Ao todo, 18 helicópteros e 34 barcos de resgate foram enviados para a região. / REUTERS e AP

terça-feira, abril 15, 2014

INTERNACIONAL:Dezenas de mortos após explosão em estação de ônibus na Nigéria .

 Explosões em uma estação de ônibus repleta de passageiros, nos arredores de Abuja, capital da Nigéria, mataram dezenas de pessoas. Cerca de 30 veículos foram destruídos
 Um ataque contra uma das principais estações de ônibus de Abuja, capital da Nigéria, deixou mais de 70 mortos e 120 feridos, informou um porta-voz da polícia local


 ezenas de pessoas morreram em uma estação de ônibus repleta de pessoas em Abuja, capital da Nigéria, informou a imprensa local. A explosão abriu um buraco no chão do local
Mulher chora ao chegar ao Hospital Asokoro, para onde foram levadas as vítimas da explosão de uma bomba na manhã desta segunda-feira (14), em Abuja, na Nigéria

segunda-feira, abril 14, 2014

CIÊNCIA:Eclipse lunar poderá ser visto a partir das 3h da madrugada desta terça.




Satélite ficará avermelhado, na sombra da Terra em relação ao Sol.
Último eclipse total da Lua foi registrado em dezembro de 2011.


 Ilustração mosta como ocorre o eclipse lunar (Foto: Reprodução / TV Globo)

Na madrugada desta terça-feira (15), se as condições meteorológicas permitirem, será possível observar no Brasil e em todo o continente americano um eclipse lunar, quando a Lua ficará na sombra da Terra em relação ao Sol e ganhará um tom avermelhado, razão pela qual o fenômeno é chamado de "Lua de sangue". No Brasil, esse eclipse total poderá ser visto a partir das 3h da manhã e deve durar 78 minutos. O ponto alto deve acontecer a partir das 4h46 (horário de Brasília), e a visão será melhor nas regiões Norte e Centro-Oeste.
Os eclipses totais da Lua, quando o satélite cruza o cone de sombra da Terra, são pouco frequentes. O último ocorreu no dia 10 de dezembro de 2011. A última vez que aconteceu uma série de quatro eclipses lunares totais foi entre 2003 e 2004, segundo a agência espanhola EFE.
Este será o primeiro de uma série de quatro eclipses lunares que deve ocorrer, aproximadamente, a cada 6 meses e se repetirá apenas sete vezes neste século. O próximo eclipse total está previsto para o dia 8 de outubro. Ainda este ano, também será possível observar dois eclipses do Sol (um em abril e outro em outubro). agência espacial americana (Nasa) explicou que o eclipse desta terça-feira começará quando a região periférica da Lua ingressar no centro da sombra da Terra, que é de cor âmbar. É durante esse período que o satélite é visto da Terra com uma cor avermelhada, causada pela luz do Sol e matizada por sua passagem pela atmosfera terrestre – algo similar à coloração que a luz solar adquire nos crepúsculos.
Ao longo da história, os eclipses solares e lunares estiveram rodeados de muitas superstições e referências a profecias sobre desastres naturais de grande magnitude.
Veja abaixo os eclipses previstos para 2014:
- 15 de abril: Eclipse total da Lua – visível na parte oeste da África, na parte oeste da
Europa, Américas, Austrália e leste da Ásia
- 29 de abril: Eclipse anular do Sol (quando a Lua fica na frente do Sol e se forma um "anel" do Sol em volta da Lua) – visível na Antártica e Austrália
- 8 de outubro: Eclipse total da Lua – visível nas Américas, na Austrália e Ásia
- 23 de outubro: Eclipse parcial do Sol – visível na maior parte da América do Norte, no México e na Rússi

SÃO PAULO:Chuva deixa famílias desalojadas em São Sebastião, litoral norte.

Uma das áreas de risco onde famílias foram removidas pela Defesa Civil. (Foto: Divulgação/Prefeitura de São Sebastião)
Uma das áreas de risco onde famílias foram removidas.(Foto:Divulgação/Prefeitura de São Sebastião)
Após a chuva que atingiu São Sebastião (SP) entre a noite deste domingo (13) e a manhã desta
segunda-feira (14), 37 famílias foram retiradas pela Defesa Civil de áreas alagadas ou de risco de deslizamento. A maioria está na casa de parentes.
De acordo com a prefeitura, os bairros mais atingidos foram Juqueí, Camburi, Barra do Sahy e Baleia. Choveu em 12 horas, 153 milímetros na cidade - o esperado para um mês e meio, segundo a prefeitura da cidade.
De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Carlos Eduardo Santos, não há previsão do retorno das pessoas para as casas. Das cerca de 70 pessoas removidas, apenas sete haviam retornado no começo da noite desta segunda. Outras áreas de risco estão sendo monitoradas na costa sul da cidade.