sábado, novembro 08, 2014

CRIME: estupro em Mairiporã SP

Caseiro José Edilson de Oliveira foi preso por suspeita de estuprar adolescente (Foto: Reprodução / TV Globo)
Caseiro foi preso por suspeita de estuprar e agredir
garota em Mairiporã (Foto: Reprodução/TV Globo)


Jovem é jogada de barragem de dez metros de altura após ser violentada e agredida
local onde a menina foi jogada pelo estuprador


A menina só foi encontrada na manhã de quinta-feira (6), quando contou a um vigia que sobreviveu a uma queda de cinco metros de altura da barragem Sete Quedas.
A adolescente disse que suas mãos foram amarradas com corda e que depois foi levada para uma das chácaras onde o agressor trabalhava como caseiro. Lá, a despiu, agrediu e estuprou. Depois a colocou novamente no carro, onde a violentou mais duas vezes. Em seguida, a adolescente continuou amarrada e foi arremessada na água com um saco na cabeça.
A garota contou ainda que, mesmo com a queda, conseguiu soltar as mãos presas com corda e nadou até a margem, onde ficou escondida. Segundo a menina, o caseiro voltou mais cinco vezes ao local para se certificar que ela teria se afogado. Na manhã seguinte, a vítima  caminhou em uma mata até encontrar uma guarita de vigilância onde pediu ajuda ao vigia, que telefonou para os pais da adolescente.
Com as informações que a menina deu a polícia, como as letras da placa do carro, o modelo e cor do veículo, policias militares encontraram o suspeito, o caseiro José Edilson de Oliveira, de 45 anos, que foi preso em flagrante. O homem estava em casa, onde mora com a mulher e os dois filhos. Ele teria confessado o crime. No veículo foi encontrada uma corda e o telefone celular da vítima, segundo policiais.
Acompanhada dos pais na Delegacia de Mairiporã, a adolescente reconheceu o caseiro como o homem que a obrigou a entrar em seu carro e a violentou.
O caseiro também está sendo investigado por estupros que teriam sido cometidos na capital, em Atibaia e Bragança Paulista, cidades do interior do estado. A informação é da Polícia Civil. De acordo com a delegada assistente Luciana Raffaelli Santini, após a prisão e divulgação da imagem de José de Oliveira na imprensa, três mulheres telefonaram para a delegacia dizendo que foram estupradas por ele. As possíveis vítimas foram convidadas a ir a Mairiporã fazer o reconhecimento do suspeito.
“Uma vítima é do bairro do Tucuruvi, Zona Norte de São Paulo. Outra de Atibaia ligou falando que além de estupra-la, ele [Oliveira] atirou duas vezes no seu rosto. A terceira mulher atacada é de Bragança Paulista”, afirmou a delegada Luciana, nesta sexta-feira (7) ao G1. "Todas viram o agressor na TV e decidiram ligar para cá".
Segundo a policial, mais mulheres que podem ter sido abusadas pelo caseiro. Ela pede que as denúncias sejam feitas pelo telefone (11) 4604-2230. “As vítimas podem vir aqui que serão tratadas com dignidade. Além de mim, a delegacia tem outras mulheres trabalhando aqui, por exemplo, a própria delegada titular [Claudia Patrícia Dalvia]”, falou Luciana.
 José de Oliveira foi indiciado por estupro de vulnerável, tentativa de assassinato e dano ao patrimônio público. De acordo com a delegada, policiais militares disseram que o caseiro confessou os crimes cometidos contra a adolescente. Apesar disso, a confissão dele não aparece no boletim de ocorrência.
“Ele preferiu se reservar ao direito de só falar à Justiça”, disse a delegada de Mairiporã. O G1 não foi autorizado pela polícia para falar com Oliveira. Apesar de o caseiro ter advogado constituído, a equipe de reportagem não conseguiu localizá-lo para comentar o caso. O nome do defensor também não foi informado.
Até a publicação da reportagem, Oliveira permanecia detido na delegacia de Mairiporã. A polícia aguarda uma vaga no sistema prisional para transferi-lo. “Espero que ele [Oliveira] fique preso o resto da vida pelo mal que ele fez a minha filha”, disse na manhã desta sexta-feira (7) a mãe da adolescente, que não foi autorizada pelos pais a falar com o G1.
“Estou arrasado, arrasado mesmo. Ontem [quarta-feira] eu não jantei, hoje [quinta-feira] não almocei. Chorei tanto que eu nem sei contar pra você. Eu quero Justiça porque um homem desse no mundo é pra viver na prisão”, disse o pai da vítima, na quinta-feira.

SÃO PAULO:Raio atinge e mata três pessoas na Zona Leste de São Paulo.


Bombeiros atendem feridos após descarga elétrica na Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução GloboNews)Pedestres se protegem de temporal nos arredores da estação São Bento do Metrô, na região central de São Paulo, nesta sexta-feira (07) (Foto: Dario Oliveira/Estadão Conteúdo)



Três pessoas morreram após serem atingidas por um raio na Zona Leste de São Paulo

Secretaria Municipal de Saúde confirmou a morte das vítimas.
Descarga elétrica ocorreu por volta das 18h30 na Rua São Felipe.

na tarde desta sexta-feira (7). A descarga elétrica ocorreu por volta das 18h30, na Rua São Felipe, na esquina com a Avenida Condessa Elizabeth Robiano, segundo a Polícia Militar.
As vítimas – três homens sem identificação – foram levadas para o Pronto Socorro Municipal do Tatuapé com queimaduras graves, mas não resistiram aos ferimentos. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou o falecimento dos três às 20h18.
A chuva que atingiu São Paulo nesta tarde deixou bairros da Zona Leste e Sul em estado de atenção até o começo da noite.
Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura, a capital tinha 24 pontos de alagamentos às 18h20. A intensidade do vento chegou a 42 km/h na região do Campo de Marte, na Zona Norte. A previsão é que as pancadas de chuva continuem durante a noite.

Entraram em estado de atenção as subprefeitura da Sé, na região central, Mooca, na Zona Leste, e Vila Mariana e Ipiranga na Zona Sul, por causa da chuva forte. Houve registro de pontos de alagamento intransitáveis na Avenida Nove de julho, nos sentidos bairro e centro, na Rua São Paulo, na Liberdade, e na Avenida Alcântara Machado, próximo à Avenida Álvaro Ramos, em ambos os sentidos e também de queda de árvore na rua Visconde de Parnaíba, na Mooca.

PERU: Fujimori pede prisão domiciliar para não 'pôr em risco' sua saúde.

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori chega ao tribunal nesta quinta-feira (17) em Lima (Foto: Martin Mejía/AP)
Ex-presidente peruano Alberto Fujimori está presdo
desde 2007 (Foto: Martin Mejía/AP)




Pedido foi negado em 2013 pela Justiça.
Ex-presidente peruano diz que prisão é 'pena de morte lenta'.

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori disse nesta sexta-feira (7) que a prisão é uma "pena de morte lenta" para ele e pediu ao tribunal local que reconsidere seu pedido para completar em casa sua sentença de 25 anos por violações dos direitos humanos.
Fujimori, que governou o país por 10 anos, está preso desde 2007 em uma penitenciária em Lima e, de acordo com seus médicos, sofre de depressão e pressão alta.
O ex-presidente, de 76 anos, falou com voz pausada aos membros de um tribunal penal para não abreviar sua condenação, mas para cumpri-la em casa para não "pôr em risco" sua saúde física e mental.

"Peço aos ilustres membros desta sala... sem deixar o aspecto legal, que possa superar essa prisão que, na prática, constitui para mim uma pena de morte lenta", disse Fujimori ao tribunal.
"Se eu continuar assim, vou exalar o meu último suspiro antes de cumprir a condenação total, porque não acredito que eu possa sobreviver até os 95 anos", afirmou o ex-presidente, que foi operado cinco vezes na língua, as duas primeiras por câncer.
A Justiça negou a Fujimori em 2013 um pedido de prisão domiciliar em primeira instância. Nesse mesmo ano, o presidente Ollanta Humala negou um pedido de indulto humanitário solicitado por sua família.
Segundo os promotores, o pedido de Fujimori tem poucas chances de ser aceito, pois a prisão domiciliar não se aplica a pessoas que já foram condenadas. O tribunal penal vai resolver o caso nos próximos dias.

quinta-feira, novembro 06, 2014

ENERGIA: pode ocorrer recionamento em sp, e outros estados durante madrugadas.

Verão pode ter corte de luz de madrugada se não chover o suficiente para recuperar nível de reservatórios, diz Folha

São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Vitória podem ter cortes de luz durante a madrugada no auge do verão se não chover o suficiente para recuperar o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas na região Sudeste. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, tendo como fonte o Operador Nacional do Sistema (ONS).
Segundo a Folha, o ONS avisou a distribuidores e geradores de energia que há risco de serem necessários cortes seletivos de energia para garantir o fornecimento nos horários de pico nos meses de janeiro e fevereiro, quando, devido ao forte calor, há aumento do consumo de eletricidade de cerca de 5%. O alerta teria sido feito na última quinta-feira (30), segundo fontes ouvidas pelo jornal, mas não foi confirmado pelo ONS.
Os cortes de energia seriam feitos de madrugada e também atingiriam outras grandes cidades da região como Campinas.
Atualmente, os reservatórios das hidrelétricas na região estão com 18,27% de sua capacidade. Em 2013, neste mesmo período estavam com 41,62%.
Mas, se o período chuvoso que se inicia for suficiente para elevar o nível dos reservatórios para 30% em janeiro, não serão necessários os cortes de luz, de acordo com a reportagem da Folha.
Chuvas devem continuar no Sudeste
Segundo a Somar Meteorologia, empresa que atua na previsão do tempo, as chuvas deverão continuar a cair nos próximos dias sobre as principais áreas de cultivo de cana de São Paulo para então se espalhar ao norte para as regiões cafeeiras de Minas Gerais até 19 de novembro, informou a agência Reuters.
A chuva também poderá ajudar a recuperar em parte os reservatórios de água para uso nas cidades e barragens de hidrelétricas do Sudeste.
No site da Somar, também consta a informação de que o Vale do Paraíba entre São Paulo e Rio e a Zona da Mata, em Minas, deverão ter chuva nos próximos cinco dias.

terça-feira, novembro 04, 2014

A SECA NA VIDA DO BRASIL........


CearáBahiaMinas Gerais Sul





A cidade de Minas Gerais em que os urubus estão em vantagem em relação a todo mundo

Glaucilândia tem uma trilha de animais mortos vítimas da prolongada seca e os urubus já não dão mais conta do que fica.
A cena desoladora no município de Glaucilândia representa mais ou menos o que é qualquer crise: muitos sofrem e alguns conseguem tirar vantagem da situação. Na cidade no norte de Minas Gerais, a seca está deixando um rastro de animais em decomposição e favorecendo a cadeia alimentar de outros. "Eles morrem de fome e sede e os urubus não estão dando conta de comer tanto animal nessa região", lamenta o produtor Manoel Vieira, de 75 anos, todos vividos na roça.
De janeiro a setembro deste ano choveu apenas 104 milímetros - a última gota caiu em abril. Para efeito de comparação, foram registrados 1.197 milímetros de chuva ao longo do ano passado - e essa quantidade não foi suficiente para repor o nível dos rios no município. Rios importantes como o Rio das Pedras e Verde Grande, afluente do São Francisco, estão secando por causa da estiagem prolongada. Segundo ambientalistas do Instituto Vidas Áridas, a região vive o quarto ano de uma estiagem prolongada que é considerada a pior dos últimos 50 anos.
O local que Manoel Vieira tinha destinado ao pasto agora não passa de terra batida, que não brota nem uma muda de capim. O sonho de se tornar grande criador de gado virou luta para não deixar morrer os oito animais restantes na propriedade.
"Nunca vi algo igual. O tempo já foi muito bom, mas agora é esperar ajuda de Deus. Não há mais pasto, é tudo terra. Já tentei vender, mas ninguém aqui quer comprar, porque é quase certo que vão morrer de sede”, afirma.
Famílias precisam acordar de madrugada para buscar água e têm de planejar as atividades para usar sua cota

Famílias precisam acordar de madrugada para buscar água e têm de planejar as atividades para usar sua cota.

REPRESAS: Sabesp indica aumento no nível das represas do Sistema Alto Tietê

Represa Taiaçupeba - Suzano




Na sexta (31) o nível era de 6,6%, nesta segunda (3) é de

8,8%.
Em Mogi, média de outubro foi de 120 milímetros a menos que 2013.

As cinco represas que fazem parte do Sistema Alto Tietê amanheceram nesta segunda-feira (3) com boas notícias para quem está preocupado com a estiagem no Estado de São Paulo. Segundo o site da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o índice subiu de 6,6% na sexta-feira (31) para 8,8% nesta segunda-feira (3).
O aumento no índice do sistema aconteceu após as chuvas neste fim de semana. O Alto Tietê, que atende 4,5 milhões de pessoas, registrou chuvas na sexta, no sábado e no domingo. Na sexta-feira, o índice estava em 6,6%. No sábado, ele saltou para 8,99%. No domingo, o nível do sistema se manteve em 8,9%. Sem novas chuvas, o índice voltou a cair nesta segunda-feira (3), regredindo para 8,8%.
Segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, na sexta-feira a cidade registrou 39,5 milímetros. Já no sábado, a chuva foi de 37 milímetros. Ainda de acordo com a administração municipal, a média para o mês de outubro deste ano foi de apenas 7,8 milímetros, cerca de 120 milímetros a menos do que o registrado no mês de outubro de 2013, quando choveu 128,7 milímetros.
Moradores da cidade comemoraram a chuva no final de semana. "Foi a coisa mais maravilhosa que teve, até ajoelhei para agradecer", diz o aposentado Manoel José Fernando. A dona de casa Rose Alves também ficou feliz com a precipitação. "Foi ótimo, né? Porque está faltando água e a gente precisa, quer fazer os serviços de casa e não tem água", opina.

O representante comercial Sidnei Antônio dos Santos afirma, no entanto, que apesar da chuva, não dá para ficar tranquilo com a seca no Estado. "Não dá para a gente ficar tranquilo não, a seca ainda está pertinente aqui na região e nos outros lugares do Estado, que a gente também faça essa economia porque faz bem para a nossa economia e não só para a gente".
A Sabesp divulga diariamente o nível dos sistemas de abastecimento de água no Estado de São Paulo. Para consultar, basta acessar o site da companhia.
Contestação
O engenheiro civil José Roberto Kachel, que faz parte do Comitê de Bacias Hidrográficas do Alto Tietê contesta os dados divulgados pela Sabesp depois da chuva deste fim de semana. Ele conta que diariamente acompanha a situação das represas, baseado nos números divulgados pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee).
Kachel mostra que no dia 31 de outubro, o Sistema Alto Tietê estava com 37 bilhões de litros de água. Ainda segundo ele, houve variação no volume das represas nesse tempo, mas ainda nesta segunda-feira (3), o sistema continua com 37 bilhões. Por esse motivo, o engenheiro acredita que não existe justificativa para o aumento no nível das represas de 2,9%, conforme divulgado pela Sabesp. "Como esse 2,9% significa 15 milhões de metros cúbicos, pode ser que eles tenham acrescentado o volume morto disponível. Porque, no momento, já foram utilizados 5 milhões de metros cúbicos do volume morto da Represa de Biritiba e restam, a Sabesp mesmo divulgou, 10 milhões na [Represa] Jundiaí", argumenta.
Segundo Kachel, a Represa de Paraitinga, por exemplo, estava no dia 31 com 9,9 bilhões de litros de água. Nesta segunda, o reservatório tem 9,6 bilhões. Por esse motivo, o engenheiro explica que a quantidade de chuvas foi insuficiente para aumentar tanto. "Para alcançar esse volume de 15 milhões de metros cúbicos em um dia, eu imagino que precisaria chover de 20 a 30 vezes mais do que choveu em um dia. Seria um dilúvio para justificar esse aumento", afirma.
Em nota, a Sabesp afirmou que nos dias 1º e 2 de novembro, o Sistema Produtor Alto Tietê teve seu volume acrescido em 2,4%, sendo 0,6% resultante da chuva e 1,8% do aproveitamento de mais uma parcela do volume útil do reservatório de Biritiba. Ainda segundo a companhia, no total, foram acrescidos 13 milhões de metros cúbicos, sendo 9 milhões de metros cúbicos da represa Biritiba e outros 4 milhões de metros cúbicos resultantes das chuvas (107,9 mm), principalmente no reservatório de Paraitinga.
A produção do Diário TV 1ª Edição entrou em contato com o Daee sobre os dados questionados pelo engenheiro, mas até às 08h36 desta terça-feira (4), não obteve retorno.

AGUA: STF vai mediar discussão de 3 Estados sobre o Cantareira.

Em Brasília:   O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux convocou uma audiência de mediação para discutir a possibilidade de transposição de águas do Rio Paraíba do Sul ao Sistema Cantareira, diante da crise hídrica enfrentada na região Sudeste.
sistema Cantareira
O caso foi levado do Supremo pelo Ministério Público Federal, que pedia que a transposição ou captação de águas do rio para o abastecimento de São Paulo fosse proibida, sob alegação de que são necessários "estudos adicionais" para apurar os impactos ambientais da medida.
O sistema Cantareira é o grande responsável pelo abastecimento de água para a capital paulista e região metropolitana.
sistema Cantareira
Fux, relator do caso na Corte, negou em liminar a proibição, mas chamou os governadores de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais para uma audiência com a procuradoria-geral da República; a Advocacia-Geral da União; a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; o presidente da Agência Nacional de Água (ANA), Vicente Andreu; e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Volney Zanardi Júnior. Também participaram da audiência procuradores-gerais dos três Estados.
A mediação será feita no próximo dia 20, no gabinete do próprio ministro, no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. O caso, aponta Fux, pode gerar o "comprometimento do acesso da população dos Estados envolvidos a um recurso natural imprescindível para a sobrevivência digna das suas respectivas populações".
Ele citou que os Estados passam por "severa dificuldade" no fornecimento de água em razão da redução das chuvas.
"Essa calamidade tem feito com que os administradores públicos da região envidem inesgotáveis esforços na busca de soluções concretas para o problema. Nesse contexto, uma das medidas técnicas aventadas foi a transposição das águas do Rio Paraíba do Sul para ampliar a capacidade do Sistema Cantareira de São Paulo", escreveu o ministro, em decisão desta segunda-feira, 3.
O ministro chega a sugerir, na decisão, que as partes avaliem a formação de um grupo técnico de trabalho para "buscar soluções técnicas e ambientais para erradicar a falta de água no Sudeste".
Ele pede que os governadores e representantes dos órgãos convocados façam antes da audiência uma avaliação das possibilidades para chegar a uma transação que possa ser homologada pela Justiça. A intenção da mediação é "evitar um desnecessário conflito", diz Fux.
O pedido liminar para proibir a viabilização da captação da água do Paraíba do Sul foi negado, pois o ministro disse não ter provas de que haja qualquer obra iniciada por São Paulo ou licença ambiental na iminência de ser expedida.
sistema Cantareira

sexta-feira, outubro 31, 2014

RODOANEL: um novo acesso fica localizado em Suzano.

 alça de acesso ao rodoanel  sentido Dutra já estar em funcionamento, e fica localizada na /rodovia-henrique-eroles Suzano-sp  pertinho do pet center suzano.
 Ferraz, Poá, e região. já é possível ter acesso ao rodo anel pela alça localizada em Suzano
A outra alça de acesso a Ribeirão pires, se encontra em Construção, e ainda não estar em Funcionamento por enquanto apenas uma alça foi Inaugurada.
Essa é a nova alça de Acesso ao Rodo Anel Mario Covas setor leste Cidade de Suzano Alto Tietê.

 Mega Construção Rodoanel Mário Covas com 11 quilometro de extensão, o segundo Maior do País. ficando atrás somente do Niterói,  Rio de janeiro:       -setor Leste paulista, sentido  Cidade Miguel Badra, e Itaquaquecetuba Rumo Rodovia Airton Senna. também com sentido Dutra.
                            Imagem da Cidade de Suzano-sp  Região do alto Tietê- 31/10/2014
                             Imagem da Cidade de Suzano-sp  Região do alto Tietê- 31/10/2014

RIO TIETÊ: falta de chuva e águas poluidas, fazem aves e animais deixarem o local atingido.

 Rio Tietê região Cidade Miguel Barda Suzano-sp.  águas turvas poluídas e parada. sem  possibilidade nenhuma de vida animal nesses locais,  fruto da estiagem que assola a região.
 bacias que sempre viviam cheias, hoje a Imagem é de solo seco e rachado pela temperatura.
Ainda se preserva a vegetação e o verde nas margens do Rio. e  Bem No fundo é possível  ver a passagem do Rodo Anel Mario Covas setor leste, Rumo a Ribeirão pires.
solo Rachado denuncia a falta d,água nessa região. onde era possível ver cantos de aves, e outros animais, hoje isso é quebrado pelo silêncio. talvez tenham migrado para outros setores para escapar da seca. também é possível ver bem lá no fundo, a Cidade Miguel Badra.

quinta-feira, outubro 30, 2014

ESTADOS UNIDOS: tentativa fracassada em lançamento de foguete.


Wallops launch pad looking south after launch failure 

Foguete espacial explode durante lançamento em base da Nasa

                  

Foto fornecida pela Nasa (Agência Espacial Americana) mostra a vista aérea das instalações de lançamento na ilha de Wallops, na Virgínia, nos Estados Unidos, após tentativa fracassada de lançamento de foguete Antares, nesta quarta-feira (29). O foguete espacial da empresa privada americana Orbital Sciences Corporation, que carregava a nave espacial não tripulada Cygnus a bordo, explodiu nesta terça-feira (28). O veículo carregava 2,2 toneladas de equipamentos, material de experimentos e provisões para os seis membros da tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês)